Rede Save Food Brasil marca mobilização contra desperdícios de alimentos

December 1, 2016

 

Segundo dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO/ONU), cerca de um terço dos alimentos produzidos do mundo são desperdiçados ou perdidos. Essa quantidade seria suficiente para satisfazer as necessidades alimentares do planeta. Diante desse cenário, foi lançada a Rede Save Food Brasil no dia 30 de novembro, reunindo cerca de sessenta atores governamentais e não-governamentais, que atuam na cadeia de alimentos, para buscar soluções para a redução das perdas e desperdícios no país. O evento aconteceu no Refetto Rio Gastromotiva no Rio de Janeiro, com apoio institucional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/ONU), Embrapa, WWF, WRI e GS&MD.

 

A Rede Save Food Brasil alinha-se à iniciativa global Save Food, idealizada FAO/ONU em conjunto com a área privada, para sensibilizar e conscientizar a sociedade, visando buscar soluções contra o desperdício em toda a cadeia de alimentos. Atua na perspectiva da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da ONU, que pretende reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita. "Quando buscamos um mundo livre de pobreza, fome e desnutrição precisamos trabalhar para modificar os sistemas agroalimentares, a fim de reduzir as perdas e os desperdícios de alimentos", disse Tania Santivanez, do escritório da FAO/ONU América Latina, na abertura do evento. "É uma questão de justiça social", completou.

 

Estimativas de crescimento demográfico indicam que, em 2050, a população mundial chegará a 9,2 bilhões de pessoas. Para abastecer o planeta seria preciso aumentar a oferta de alimentos em cerca de 50% ou 60%. "Não há condições ambientais para se produzir tanto, o planeta está no limite. A solução então é trabalhar para combater perdas e desperdícios de alimentos, por meio da sinergia, cooperação e comunicação, como pretende a Save Food Brasil", aponta o professor Walter Belik, da Universidade de Campinas.

 

Rede Save Food Brasil


A rede brasileira é uma iniciativa de empresas, instituições governamentais e da sociedade civil, que conta com o apoio institucional da FAO/ONU. Seu objetivo é envolver atores interessados em disseminar as melhores práticas, experiências e processos de inovação para reduzir de perdas e desperdícios de alimentos no país. Pretende atuar em agendas regionais e nacionais baseada em três pilares estratégicos, ligados à governança (alianças institucionais, políticas públicas), comunicação (sensibilização, informação) e tecnologia (pesquisa, inovação). Após seis meses do lançamento do site, a Rede Save Food Brasil já sensibilizou 50 organizações e mantêm 230 membros cadastrados, provenientes de 10 Estados brasileiros. "Queremos agora começar a registrar experiências locais, construir agendas regionais, tornar públicas as informações sobre esse tema e conectar cada vez mais as pessoas engajados nessa causa", conta Alcione Silva, da Start Up Conecting Food e uma das líderes da Rede.

 

A Rede Save Food Brasil se propõe a promover uma articulação inter setorial, compartilhar experiências e melhores práticas, além promover mobilização e engajamento. "Estamos aqui para trazer um alerta para a questão da perda e do desperdício de alimentos. Queremos mobilizar os atores envolvidos para o estabelecimento de políticas públicas, projetos em conjunto e adoção de soluções tecnológicas", afirma Murillo Freire, pesquisador da Embrapa Agroindústria de Alimentos e um dos líderes da Rede Save Food Brasil.

 

Há mais de vinte anos, a equipe de pós-colheita da Embrapa Agroindústria de Alimentos desenvolve pesquisas e capacitação para mitigar as perdas de alimentos no campo. "Acompanho esse problema há anos e observo que, em muitos casos, algumas adequações técnicas, capacitação dos agentes envolvidos e transferência de tecnologias e conhecimentos podem trazer grandes resultados. Tudo começa, contudo, com a educação das novas gerações para gerar uma conscientização sobre a utilização racional dos recursos naturais do planeta, como água e alimentos", afirma Antonio Gomes, pesquisador da Embrapa Agroindústria de Alimentos.

 

Atualmente, a questão das perdas e desperdícios de alimentos ganhou ainda mais destaque para a Empresa. "Esse tema representa uma das prioridades de gestão da nossa Unidade, estando ligada ao plano estratégico da Embrapa de longo prazo em prol da sustentabilidade", afirma a chefe-geral da Embrapa Agroindústria de Alimentos, Lourdes Cabral, presente no evento.

 

Potencializar mudanças para reduzir perdas e desperdícios de alimentos no Brasil mobilizou a participação de cerca de sessenta membros de organizações da sociedade civil, multinacionais da área de alimentos, hipermercados, centrais de abastecimento, universidades, instituições de pesquisa, jornalistas, chefes de cozinha e consultores no evento. O café da manhã e o almoço foram oferecidos pelo chef David Hertz, do Reffetorio Gastromotiva, que apresentou um cardápio sofisticado, totalmente produzido com alimentos que seriam descartados no lixo. Nesse ambiente, o debate e a união entre os atores brasileiros ligados à cadeia alimentar faz crer que, juntos, podem contribuir para mudar a realidade do Brasil, de ser um dos dez países que mais desperdiçam alimentos no mundo.

Saiba mais em: www.savefoodbrasil.org

Share on Facebook
Please reload

Posts Em Destaque

Abastecimento de água cresce 1,5% e beneficia 58,1 milhões de casas, diz IBGE

November 25, 2016

1/2
Please reload

Posts Recentes
Please reload

espaco_rodape_2.png