Festa Literária do Grajaú terá show de encerramento no CEU Vila Rubi

Estarão no palco artistas como Dan Silva, Zé Márcio com Grupo Macaia e Robson Lutchello, Nayara Lays, Yara Barros, M Moneys e outros



Da redação 22 de março 2019 - atualização 23.03.19 - 15:12


Desde terça-feira (19) teve início a primeira Festa Literária do Grajaú (Flig), com diversas atividades artísticas e culturais em cinco CEUs (Centros Educacionais Unificados), e no Centro Cultural Grajaú, na zona sul de São Paulo. O encerramento será neste sábado 23.


O evento tem entre suas organizadoras a professora Michele Santos, 38, que também é mediadora do sarau Sobrenome Liberdade, e a bibliotecária Cíntia Mendes, 32, além de outros bibliotecários dos CEUs da região e agitadores culturais do Grajaú. A Flig busca trazer experiências de outras feiras literárias do país, mas pensada para atender autores do extremo sul de São Paulo. Ao todo, dez pessoas têm ajudado na organização do evento.


“Acho que uma das coisas mais difíceis para quem escreve na periferia é buscar essa legitimação”, comenta Michele. “Ter a união de todas essas pessoas que estão fazendo coisas interessantes na região ajuda a legitimar esse trabalho e a privilegiar todos esses artistas”, completa Cíntia.

Ao longo de cinco dias de evento, a Flig vem promovendo mesas de debates, oficinas, saraus, encontros com escritores, exposições e shows com artistas locais. Esta primeira edição homenageia Adélia Prates, figura importante do Grajaú pela atuação nos últimos 30 anos em defesa dos direitos das mulheres.

As organizadoras destacam a presença dos livros na periferia, a importância dos saraus no fomento à literatura e a representatividade feminina. “A periferia expõe feridas, expõe a desigualdade social. Não tem como falar de Brasil sem falarmos das periferias”, afirma Michele.

A Flig conta com forte presença dos Saraus, que no cotidiano funcionam como ponto de encontro de pessoas que estão produzindo e fruindo cultura e arte nas periferias e são referências para a expressão artística e também vitrine para o consumo dos produtos por eles produzidos, como livros, discos, artes plásticas, entre outros.

Show de encerramento

O encerramento da Flig será em grande estilo, com um show bastante representativo da produção musical local, no Ceu Vila Rubi que contará com as apresentações de nomes como:

Dan Silva, jovem músico do Grajaú com presença frequente no circuito dos saraus da região. Dan possui uma interessante produção musical autoral que em suas apresentações sempre intercala com canções de autores consagrados como Criolo, Caetano Veloso, Cartola, Lenine. Passeia por ritmos como rock, pop, samba e MPB e promete uma apresentação solo com banquinho e violão.


Zé Márcio e Grupo Macaia, tem como marca registrada o experimentalismo, em diversos estilos musicais com canções autorais releituras de alguns clássicas de autores como Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Almir Sater, Renato Teixeira, Walter Franco, enfim as apresentações do grupo normalmente fazem incursões que vão do tradicional repertório caipira, passando pela MPB, o Rock, com porções musicais dos terreiros de Umbanda, dos maracatus e folias de reis. A banda contará com a participação especial do violinista Robson Lutchello, que além do tom lírico costuma imprimir efeitos sonoros surpreendentes e completam a performance eclética proposta pelo grupo


Nayara Lays, também prata da casa, cria do Grajaú, que desde a adolescência teve como inspiração seu tio Júlio, integrante do grupo de pagode Acalanto. Nayara conta que certo dia descobriu que ele também escrevia as músicas que cantava, se encantou Imediatamente e começou a compor suas primeiras canções, que à época eram pagodes e sambas. O repertório de canções autorais e de artistas que a influenciaram como Gilberto Gil, Itamar Asssumpção, Dona Ivone Lara, entre outros.


Yara barros musicista também muito conhecida no circuito cultural da Região Sul, possui um estilo próprio e vozeirão que lembra a grande Elza Soares.


A trajetória da artista é curiosa, pois transitou do universo das escolas de samba que frequentava com o seu pai, para a atuação em corais clássicos, em seguida para o Soul Music e Gospel.

Integrou a banda Reverenda Franklin, que se apresentou em casa como o Bourbon Street e The Orleans, no Rock in Rio de 2011, e no Bourbon Festival Paraty em 2012 . Posteriormente integrou a Banda Ophélia. Também foi backing vocal do músico Luiz Ayrão e do Padre Antônio Maria

Costuma se apresentar tocando o seu violão e cantando canções de grandes nomes da nossa música brasileira como Cartola, Pixinguinha, Paulinho da Viola, Caymmi, Clara Nunes entre outros.


M Moneys é mais uma cria Grajaú, o rapper e MC, tem como cenário para suas composições o cotidiano das ruas e das quebradas dos bairros da região, além do campo do Corintinhas, time amador do jardim dos Manacás. Suas músicas trazem também a influência de grandes clássicos do rap e com o boom bap característico da

batida tradicional do rap, do soul e do funk


Show de encerramento da Flig – Festa Literária do Grajaú

Quando: Sábado – 23.03 – 18h

Local: CEU VILA RUBI

Rua Domingos Tarroso, 101 - Vila Rubi


Posts Em Destaque
Posts Recentes