Gupo Fé, memória musical do Grajaú

Grupo completa 41 anos de estrada com muita música boa

Por Dalva Luiza


No final da década de 1970 e início de 1980 o Grajaú era um bairro novo distante, habitado por trabalhadores imigrantes de diversas regiões do país que chegavam na cidade grande para tentar melhora a vida. Além das peladas nos campos de terra batida não havida nenhum tipo de atividades de lazer. As pessoas se encontravam na missa de domingos nas Comunidades de Base, que também eram o local para festas religiosas, e as tradicionais quermesses.


Nesse contexto surgiu o Grupo Fé, formado inicialmente por Antônio Braga, Antônio Carlos Novaes (Carlão) e Tarcísio Rosa. Braga era funcionário público federal, trabalhava no INSS, Carlão era torneiro mecânico e assim como Tarcísio Rosa, trabalhou em diversas fábricas do então pujante polo industrial de Santo Amaro. Dos encontros na então Comunidade Nossa Senhora Aparecida no Grajaú (hoje Paróquia com o mesmo nome) surgiu o grupo Fé, estimulado pelo padre Pierre Luigi.


As primeiras composições do grupo foram feitas por Tarciso Rosa e Antônio Braga, com temática que refletia o ambiente urbano que, daqueles tempos (final dos anos 1970), e traduzia a luta dos trabalhadores contra a carestia, por salários e por democracia, pelas eleições diretas. Também traziam a influência do sertão, presente na memória e coração dos autores, ambos nascidos em Feira de Santana no vale do Rio Jacuípe, borda do Recôncavo Baiano.


O nome “Fé”, ao contrário do que pode parecer, não possui relação com a religiosidade. Remete a fé que se deve ter na luta cotidiana contra todas as formas de opressão a que são submetidas as pessoas das periferias dos centros urbanos e dos rincões do Brasil.

Mais tarde se juntou ao grupo o multi-instrumentista Tarciso Bruder, que contribuiu muito para os arranjos e harmonia. A partir da década de 1990, o violonista Luiz Rosa, irmão de Tarcisio Rosa, também se juntou ao grupo.

As apresentações do Grupo Fé, são marcadas pela presença de textos poéticos de autores como Câmara Cascudo, Plínio Marcos, Catulo da Paixão Cearense, e muitos textos autorais, sempre declamados ao som de violas, berimbaus e percussão, sonoridades da mais autêntica música brasileira.


O grupo Fé atualmente conta com a seguinte formação: Antônio Braga, vocais e declamação; Carlos Novais, vocais e percussão; Décio Sá, vocais, percussão e contrabaixo; Luiz Rosa, viola caipira, contrabaixo e bandolim e violão de 7 cordas, e Nilson Costa, bateria, flauta e vocais.


O grupo Fé, marcou época e fez enorme sucesso em festivais tendo sido inúmeras vezes premiado.

Segue em atividade, há mais de 40 anos tocando a boa música brasileira. E para nossa alegria já se apresentou algumas vezes no Sarau das Águas, organizado pela Espaço.


Posts Em Destaque
Posts Recentes